quinta-feira, 23 de junho de 2011

[Review] Mortification - Erasing The Goblin (2006)

http://iheartguitarblog.com/wp-content/uploads/2011/02/mort.jpg


Lançado em 2006, Erasing the Goblin é o penúltimo álbum do Mortification até o momento (eles gravaram "The Evil Addiction Destroying Machine" em 2009, e já tem um novo CD sendo preparado).

Contando em sua formação com Steve Rowe (vocal/baixo), Michael Jelinic (guitarra) e Damien Percy (bateria), o álbum apresenta uma banda cada vez mais longe das suas raízes em "Scrolls of Megilloth" e há quem não goste desse CD, mas ainda é possível ouvir um pouco daquele velho death metal old school do início dos anos 90, ainda que haja uma pegada mais thrash metal nesse CD.

Exemplo disso é a faixa de abertura, "Razorback". Death metal matador, com letra escrita por Jelinic. A faixa é construída sobre um riff simples, mas muito eficaz, com um monte de bumbo duplo e um engenhoso solo.

Não há como negar que o instrumental está bem mais trabalhado aqui. Há o peso característico do gênero, mas isso não é tudo. Steve Rowe aparece bastante nesse trabalho, e deve-se dar mérito a Jelinic por seu trabalho na guitarra. Afinal, solos não são o forte do Mortification - e quando aparece, deve-se dar graças ao bom e eterno Senhor.

"Erasing the Goblin" inicia sob o baixo de Steve, e logo ganha formas mais violentas com a pancadaria de Damien e a guitarra cortante de Jelinic. Percebe-se aqui uma variação de death e doom metal, proporcionando passagens mais sombrias e melancólicas à música. Um fator interessante. O instrumental está muito bem executado e o solinho de Jelinic funciona muito bem aos riffs criados na composição.

"The Dead Shall Be Judged" segue a mesma linha de sua antecessora, apostando na fusão do death metal com o doom. Mas aqui há algumas passagens mais rápidas, que lembram rápidos lances de thrash metal. O solo dela me lembrou a veia deathcore do Living Sacrifice no álbum "Reborn".

"Escape the Blasphemous Tabernacle" tem um início meio melancólico. A influência de doom metal nesse álbum é inegável e ela proporciona ótimos momentos para os ouvintes, sendo uma grata surpresa que funcionou nesse álbum. Contudo, o death não fica de lado, e aqui ele soa mais rápido e brutal que nas duas faixas anteriores, com o vocal de Steve chegando a soar meio black metal em alguns momentos.

Contribui para isso uma letra que pode soar pesada demais às mentes "religiosas", mas que agradará aqueles que não temem a existência das trevas e vêem a luz de Cristo aniquilar qualquer forma do Mal.

"Nascido na ritualística
Maneira blasfema da vida
Seus pais são os sacerdotes
Da prática do anticristo
Situação abusiva
Você ouve o pedágio do sino
Correndo para Jesus
Você escapar o seu inferno

Correndo pela floresta
Correndo para a sua vida
Execução do mal
Para os braços de Cristo

Nascer de novo para a Fé
Dos caminhos de Cristo
Para baixo sobre os joelhos
Você escapará para a luz
Não mais realizar
Satanás tem em você
A prática do mal
Não pode destruir a sua vida

Correndo pela floresta
Correndo para a sua vida
Execução do mal
Para os braços de Cristo

Escape do tabernáculo blasfêmico
Escape do tabernáculo blasfêmico

Escapar o seu mundo de tristeza
Entrar no caminho de um novo amanhã
Encontrando a única maneira de escapar
Encontrando Cristo, ou a sua morte certa
"

Seguindo a forma de se reiventar, em "Short Circuit", o Mortification apresenta uma música nos moldes do "The Silver Cord Is Severed", mas com uma pegada punk (!)

"Dead Man Walking" é outro destaque do álbum, que encerra a bolacha de forma digna. A letra parece ser uma referência à grave doença que assolou Steve alguns anos antes. Um milagre de Deus na vida desse cara que é um legítimo testemunho ambulante na cena metal.

Como citado anteriormente, "Erasing..." está distante daquele death brutal extreme de "Scrolls...", mas ainda assim é um ótimo petardo. Na verdade, e isso é uma opinião própria, não existe um CD ruim do Mortifa, apenas álbuns mais brutais e outros mais experimentais - mas que ainda assim obstiveram um bom resultado.

Erasing the Goblin foi lançado pela gravadora alemã MCM Music, que também é a emprteve sua distribuição disponível tanto em lojas cristãs como também em locais não-cristãos mundo à fora. A MCM Musictambém lançou uma edição limitada em 500 cópias (numeradas) do CD com diferente arte gráfica da capa e layout.

NOTA: 4/5

Track listing

  1. "Razorback" - (3:59)
  2. "Erasing The Goblin" - (5:26)
  3. "The Dead Shall Be Judged" - (4:17)
  4. "Escape The Blasphemous Tabernacle" - (6:16)
  5. "Your Time" - (3:49)
  6. "Forged In Stone" - (4:19)
  7. "Way Truth Life" - (2:50)
  8. "Humanitarian" - (6:05)
  9. "Short Circuit" - (2:55)
  10. "Dead Man Walking" - (3:42) / "Servants Of The Supreme Message"

0 comentários: